Segundo várias pesquisas de comportamento social, a queda de cabelo masculino ou seu estágio mais avançado, a calvície, é a principal causa de insatisfação estética nos homens. E todos nós, homens ou mulheres, precisamos ser admirados para nos sentirmos confiantes, seguros e aceitos em nossos relacionamentos sociais. Por isso é absolutamente compreensível a preocupação com a queda de cabelo masculino. A vaidade é uma característica boa do ser humano. Não deve ser exacerbada, mas também não deve ser reprimida.

Conheça as principais causas de queda de cabelo masculino e entenda por que os cuidados diários são tão importantes para conter a evolução da doença.

A principal causa de queda de cabelos masculino é a alopécia androgenética. Segundo a American Academy of Dermatology, cerca de 50% dos homens apresentam esse problema aos 50 anos de idade e a partir da sexta década de vida esse percentual aumenta ainda mais. Nem todas as pessoas geneticamente acometidas terão uma calvície acentuada e é fundamental tratar precocemente uma vez que folículos totalmente atrofiados não se regeneram.

Em homens com tendência genética, a doença se manifesta ao redor dos 18 anos quando doses normalmente altas do hormônio testosterona passam a agredir o folículo piloso (raiz produtora do cabelo), enfraquecendo o fio e desacelerando seu crescimento. O cabelo passa a cair antes mesmo de chegar ao seu tamanho pleno. Na linguagem médica, antes de atingir a fase telógena.

É um processo longo e constante. À medida que os fios caem, a raiz não consegue voltar a produzir novos fios e a pele da cabeça vai se tornando mais e mais exposta, sem cabelos. 

Se a doença não dá trégua, você precisa combatê-la na mesma proporção.

6 cuidados diários para ajudar a conter a queda de cabelo excessiva:

  • Lavar os cabelos diariamente, 
  • Combater a oleosidade excessiva, 
  • Não lavar os cabelos com água muito quente, 
  • Usar sempre shampoos para queda de cabelos ou anti-aging,
  • Alimentação adequada (proteínas, legumes, frutas e sementes),
  • Combater a caspa.

Após 2-3 meses respeitando essas recomendações, caso seu cabelo continue caindo, ficando mais finos, com menos brilho e você tenha um histórico familiar de calvície, está na hora de passar por uma consulta médica. 

Nessa situação serão necessários cuidados adicionais. Inicialmente serão prescritos medicamentos orais, complexos vitamínicos, nutrientes, estimuladores tópicos do crescimento dos fios. 

Descubra 8 tratamentos eficazes para a calvície masculina

O tratamento da queda de cabelo masculino, da alopécia androgenética melhorou muito na última década. A ideia de que a calvície masculina é inevitável, não existe mais. Boa parte dos homens, atualmente entre 18 e 30 anos, que começarem a tratar precocemente, terão uma evolução muito mais branda da queda de cabelo. 

E não é só a queda que melhora. Com uma maior produtividade da raiz, os cabelos incorporam mais proteínas, ficam mais fortes, mais encorpados, mais brilhantes, enfim, mais bonitos. Mesmo as pessoas que já perderam parte dos fios relatam melhora significativa da aparência dos cabelos que restaram. Ficam satisfeitos com o resultado final.

Principais remédios para diminuir a queda de cabelo masculino

Os principais medicamentos usados atualmente na queda de cabelo masculino são: os inibidores da DHT (dihidrotestosterona), de uso oral e o Minoxidil, de uso tópico. Há controvérsias sobre o uso dos inibidores da DHT devido a efeitos colaterais já que é uma droga que inibe parcialmente a testosterona. No entanto, doses bem baixas e acompanhamento médico tornam seu uso seguro. É uma boa ajuda para os piores casos.

Já o Minoxidil, de uso tópico, no formato shampoo ou loção, é indicado com uma frequência maior. 

Outros tratamentos indicados por médicos especialistas em cabelo

No consultório, existe a possibilidade de acrescentar outros tratamentos para os cabelos dependendo de sua necessidade específica como: mesoterapia (injeção no subcutâneo do couro cabeludo de alguns medicamentos), MMP (injeção muito superficial de medicamentos – menos dolorido), aplicação de lasers e radiofrequência. Todos com o objetivo de acelerar o crescimento dos fios.

Ledterapia: Um Tratamento Inovador

Chama atenção um tratamento inovador, domiciliar, realizado com aparelhos de ledterapia ou fotobiomodulação (bonés, capacetes, tiaras, Low Level Light Therapy) que são uma tendência mundial no tratamento da alopécia androgenética. Aprovados pelos órgãos reguladores de saúde de países como USA, Canada, Japão, Europa, Brasil dentre outros, esses equipamentos emitem uma radiação vermelho/infravermelho curto que estimulam o crescimento dos cabelos. As células tronco, responsáveis por manter os cabelos na fase anágena (crescendo constantemente) por vários anos, respondem positivamente à ledterapia. São estimuladas a exercerem essa função, otimizando o trabalho do folículo piloso. 

Pacientes com alto grau de calvície são submetidos ao transplante de cabelo

Nos casos mais avançados da doença existe ainda a possibilidade de transplante capilar.

As principais causas da queda de cabelo em homens

A alopécia androgenética é responsável por 95% da queda de cabelo masculino e os outros 5% são causados pelo eflúvio telógeno, alopécia areata e outras doenças ainda menos frequentes. 

  • Alopécia androgenética

A alopécia androgenética sempre tem um histórico familiar (hereditária) e está relacionada à sensibilidade do folículo piloso ao hormônio masculino testosterona.

  • Eflúvio telógeno

No eflúvio telógeno os cabelos que caem estão na fase “adulta”, totalmente crescidos. Alguns com a raiz, que aparece como uma “massinha” esbranquiçada na ponta do fio. Bem diferente da alopécia androgenética quando os fios caem enfraquecidos, finos, antes de atingir o crescimento pleno. Está relacionada a períodos de estresse ou desgaste excessivo, físico ou mental, dietas severas, pós cirurgias, no período de recuperação de doenças, vestibular, troca de emprego, divórcio entre outras causas. Normalmente aparece após 3 a 4 meses do início do estresse e se resolve espontaneamente, sem necessidade de tratamentos. Porém, o crescimento dos novos fios se inicia apenas alguns meses depois do final do problema. 

Os tratamentos visam acelerar a recuperação dos fios já que o período entre a queda e o crescimento é lento e, claro, incomoda ficar meses com a sensação de estar perdendo os cabelos. 

  • Alopécia areata

A alopécia areata é uma perda de fios em áreas do couro cabeludo, formando uma ou mais clareiras bem delimitadas, rodeadas por cabelos normais. Não se conhece precisamente sua etiologia, mas acredita-se que seja autoimune. O diagnóstico e tratamentos envolvem cuidados médicos mais específicos e individualizados. 

Conclusão

Seja qual for a causa da sua queda de cabelos, valem as recomendações básicas de cuidados diários e a precocidade no tratamento. Aconselhe-se com um profissional de sua confiança e siga suas recomendações. Manter os cabelos aparados não reduz a queda, mas realça seus traços físicos. Escolha o corte que mais lhe agrada e visite o cabeleireiro a cada 30 ou 60 dias. Cabelo é sinônimo de força, beleza e vale a pena investir neles. Use sempre produtos cosméticos de boa qualidade.